segunda-feira, 29 de outubro de 2007

Fim de semana: aqui e acolá

Por Ana Inês
repórter mãe de Íris Davi e Caio

A diversão dos pais e até o esporte de domingo pode sim virar brincadeira de criança e programa de família. Foi assim nesse final de semana, em Recife, com a Corrida dos Fortes e em Brasília, com o Festival de Cultura Popular.

De Recife, Agnes, designer-mãe de Ian e Iasmin nos manda notícias:
"aí vai um pedacinho da nossa manhã divertida! A corrida foi ótima. Cláudio foi acompanhando as crianças durante o percurso, estimulando e tentando desviar o cansaço num sol super quente das 9h da manhâ. Eles correram 3km. O percurso da Corrida dos Fortes foi do Forte do Brum ao Forte das 5 Pontas, passando por pontos turísticos do Recife Antigo. Foi ótimo. Apesar de muito cansados, eles ficaram felizes com a participação e por ganharem uma medalha de recordação. Teve lanchinho depois, cada um ganhou uma squeeze. Iasmin chorou na linha de chegada, acho que nunca tinha sentido um cansaço ou uma emoção igual! Eles fizeram esse percurso em 21min. As primeiras crianças, já acostumadas com a corrida, chegaram em torno de 13 a 15min. Valeu a experiência, eles já querem correr de novo."


A competição, que já está no roteiro das corridas de rua para maratonistas experientes de todo o mundo, também tem espaço e percurso especial para atletas iniciantes e meninos e meninas cheios de energia, como Ian e Iasmin de 6 anos de idade (Iasmin é autora da obra em nossa matinê "mulher pensando").
O pai é praticante de triatlon, a mãe atleta por diversão e os filhos entraram no ritmo. A largada foi no Forte do Brum, entre Recife e Olinda, passando por vários pontos históricos da cidade no trajeto oficial de 10 km.

Com outro tom, também foi da terra dos brincantes que veio a inspiração para o fim de semana no cerrado. Aqui, no coração do Brasil, bateu o ritmo do maracatu, do coco de roda e dos espetáculos de rua. Conhecemos também o Calango Voador - que deixou Caio assustado, Íris entusiamada e Davi encantado. Um verdadeiro espetáculo circense com resgate popular (nada de cirque du soleil) algo pra se vê de perto, se sentir na pele, no próprio picadeiro, como personagem de uma literatura de cordel, de um auto de Ariano Suassuna e do saldoso carnaval.

Com certeza nossos programas-família, aqui e acolá, nos deram força pra firmar raizes e começar a semana.

Nenhum comentário: