terça-feira, 4 de março de 2008

Brincar&Aprender - à moda antiga

Por Ana Inês
repórter mãe de Íris, Davi e Caio

Topei o desafio de Ceila Santos, do desabafo de mãe, para falar sobre nosso papel na formação de uma nova geração. Sinceramente, descordo de ver meus filhos enquadrados no conceito “geração google” e, como não bastasse, realmente faço o impossível para tira-los desse estigma. Prefiro não ligar a televisão, ou deixa-los na internet, se não tenho certeza do que estão fazendo.

À moda antiga, ainda guio as pesquisas da escola com uma primeira busca por livros, jornais, revistas e deixo a internet como complemento de leitura, que faz a vez das enciclopédias (de minha época). Uma dica é ter bem separadas as revistas de recorte e aquelas ricas em informações – todas ao alcance dos pequenos interessados. Mesmo aquelas que já foram usadas por Íris (há três ou quatro anos), hoje servem para as descobertas de Davi e Caio. Um bom exemplo são as edições da Ciência Hoje das Crianças.

O mais importante de tudo isso é o hábito da leitura. Agora mesmo, enquanto Caio e Davi já estavam dormindo, recebi um boa noite bem gostoso de Íris, minha bela literária:

- Boa noite mamãe, já tô quase terminando o livro...

E, para a felicidade dela (e meu orgulho, é claro!), esse finalzinho de dia é sempre assim. Enquanto vejo um monte de pop-up do MSN avisando que uma amiga da escola está conectada, ela normalmente bate recorde em sua veia de traça (aquele bichinho que come papel)... puxou à avó! . Lembrei desta foto de íris, literalmente sobre os livros, com menos de um ano de idade.

Ontem Davi passou a manhã entusiasmadíssimo com a leitura de seu jornal, o suplemento infantil.

Creio que tudo é uma questão de formação e cultura, ou seja, tudo uma simples questão de hábito. Hoje Davi dormiu falando sobre o ótimo trabalho que fez na escola e planejando acordar cedinho pra fazer a lição de casa. Esse costume devo a uma pessoa com a qual nem tenho mais contato, Marilene, a professora de Íris da 1ª série (há cinco anos).

Uma curta historinha
Eu saia pra trabalhar cedo e, no corre-corre do café da manhã e organização geral da “nação”, como tantas outras mães, sem tempo para acompanhar as lições de casa. De maneira providencial, notei que minha pequena arranjou uma solução: quando eu ainda estava na cama, ela aparecia com tudo feito, respondido e organizado (apenas algumas dúvidas) pra que eu revisasse. Fiquei impressionada, é claro! Mas descobri que havia sido um combinado dela com a Professora: acordar cedo, antes que eu me levantasse, para começar a fazer tudo sozinha, do jeito dela. Assim, antes do café da manhã tudo já estaria concluído e, até a hora de eu sair, tudo revisto no caderno. Hoje Íris está no 7º ano do ensino fundamental e essa continua sendo sua rotina. Hábito saudável incorporado por todos nós.

Um comentário:

Leila disse...

Hoje os meus filhos estão com 3 e 2 anos, e a tv só e ligada quando eles estão muito elétricos para relaxarem um pouco. O q impera em casa é a brincadeira com monta-monta, piscina de bolinhas, giz de cera, livros, dança e muita muita risada. A era google sem duvida veio para melhorar mas nós mães e pais não devemos nos esquecer como foi boa a nossa infância, correndo, andando de bicicleta, subindo em árvores, andando de carrinho de rolimã , eu adorava, a família é algo que não pode acontecer dentro de um computador, se não tomarmos cuidado o nosso diálogo acabará sendo através de e-mails.