segunda-feira, 31 de março de 2008

Não tire as crianças da sala!!!

Por Daniel Cruz
Repórter pai de Íris, Davi e Caio

A cobertura jornalística na televisão é tão negativa que, num primeiro momento, ao aparecer um político na telinha, alguém começa a resmungar ou soltar um palavrão de dá arrepios em qualquer criança. Infelizmente, hoje, a imagem das figuras políticas vem associada à esperteza e astúcia - no sentido figurado mais próximo a uma ação desonesta para conseguir algo; e usar artifícios enganadores e, com isso, obter vantagens às custas de outrem – assim, descrito no Houaiss.

O processo de construção de uma criança cidadã deve estar em harmonia com a sua alfabetização e sua educação elementar do dia-a-dia, como lavar as mãos antes de almoçar ou escovar os dentes antes de dormir. Afinal, o fortalecimento de uma sociedade mais fraterna passa pela consolidação da democracia que, no nosso caso, tem apenas 23 anos. Talvez por isso, nossos representantes nos três Poderes ainda não tenham conquistado a confiança plena da sociedade.

Um dos melhores textos sobre alfabetização política é descrito no poema Analfabeto Político, do alemão Bertold Brecht, que diz “O pior analfabeto é o Analfabeto Político. Ele não ouve, não fala e nem participa dos acontecimentos políticos. Ele não sabe que o custo de vida, o preço do feijão, do peixe, da farinha, do aluguel, do sapato e do remédio dependem das decisões políticas”.

Essa compreensão elementar do conjunto de princípios ou opiniões políticas jamais deve se confundir com a índole de qualquer indivíduo, seja ela positiva ou negativa. São os atos dos políticos que dirão se ele é honesto ou desonesto. E, atenção: nunca caia no jargão político de que “brasileiro tem memória curta” e espante toda e qualquer visão niilista referente à política - de que nenhum político não vale nada. Vamos conversar sobre política com nossas crianças e construir um País mais Justo, Fraterno e Solidário.

2 comentários:

Educadora em Direitos Humanos disse...

Daniel, estimado: fazia tempo que eu não lia um texto tão convidativo à reflexão com as nossas crianças. Parabenizo-o pela maneira clara de abordar o tema; você mostra como podemos espantar aquela visão ultrapassada de que nossas crianças devem sair de perto quando os "adultos" estão falando. É convidando-as à prática da solidariedade, que estaremos construindo um mundo mais justo.

Mimos da Leila disse...

Parabéns pela matéria, normalmente em casa tento ir expondo os meus filhos para a vida, como no lamentável caso da menininha de 5 anos que caiu ou foi jogada da janela, eu mostrei ao meu filho de 3 anos como é perigoso a altura, sabemos que ela não caiu mas tentei retirar deste terrível caso algo de exemplo para ele em uma linguagem q ele entenda. E quanto aos políticos com certeza não tenho ainda como tirar algum exemplo bom para os meus filhos.