sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Ninho de sabiá


“Minha mãe me trocou por um passarinho”

Foi este o título que Íris, Davi e Caio imaginaram “de supetão” – de imediato – quando os convidei a sentar no chão e escrever um poema sobre os mais novos passarinhos de nosso jardim.
Depois de acompanhar e me ver empenhada em registrar  “todos os momentos”  que figuravam o ninho, construído pelos sabiás, na varanda da cozinha; tínhamos o clima perfeito para inspirar:  era um fim de tarde chuvoso, com arco-íris e tudo, e ainda faltava luz antes do jantar...


Sabiá construiu seu ninho
No cantinho do meu telhado

Com pedrinhas de barro, folhas e gravetinhos...
vai-vém sabiá pra todo lado  

Agora sim, três ovinhos bem guardados
Um dia, de repente, meus três filhinhos super contentes:
- Mamãe!
- nasceu o passarinho!
- eu vi! Estão bem ali...

Outra vez, toda contente,
mamãe sabiá 
vai-vem pra lá e pra cá

Pela manhã bem cedinho e à tardinha,
os três pequeninos esperam papai
também com a comidinha
Já cresceram um bocado,
os três agora grandinhos...
Um  bem estabanado

Outro, fofinho...
e o terceiro bem magrinho,
mas todos animados

Com a chuva veio o arco-Íris
e os passarinhos, coitadinhos
estão tremendo de frio

Bem unidos, abraçados
e assanhadinhos
já querem voar os pequeninos sabiás

Mas mamãe e papai
ainda precisam ajudar
e sair do ninho, não querem deixar