quarta-feira, 10 de outubro de 2012

1, 2, 3, 4 filhos... e uma mãe de primeira viagem



Ano passado, nesta mesma época, acompanhei o chocar dos ovinhos e os primeiros vôos de três sabiás no ninho. Acordava todos os dias, espiava, fotografava, filmava...
Segundo os meninos, espionava tudo e nao queria saber de mais nada...

Um ano depois de postar o Ninho de Sabiá e o Poeminha de Saudade - por meus filhotes estarem crescendo -, tenho agora na varanda dos quartos (entre o amanhecer com a saíra e os picapaus), outra família de sabiá que fez do nosso, o seu lar...

Ora,  se retomei os registros de repórter mae, com o nascimento e os primeiros voos dos passarinhos, por quê nao, voltar aqui para recontar o que, até agora, só havia escrito em papel? 

Ser  mãe de primeira viagem não é exatamente como pensamos... e posso dizer, sim, que esta é para mim, uma primeira vez. Afinal, nunca fui mãe aos 38, assim como também nunca fui mãe de quatro filhos... Nunca precisei de repouso total; assim como nunca me preocupei em lidar com a reação de três, de uma só vez... O sentimento é mesmo ímpar!

Mas, sentir Nina mexer na barriga traz uma paz... uma sensação de tranquilidade
e uma felicidade... daquelas de quem acompanha a magia da vida em um ninho de passarinhos
Lembra, pra mim, a satisfação de ver os meninos brincando felizes, correndo, pedalando,ou tomando banho de mangueira no jardim...

Às 30 semanas confirmo o que diz o conhecimento popular: nenhuma gravidez é igual à outra. os sentimentos são os mesmos: felicidade, insegurança, uma força incomum, e uma sensibilidade sem igual...tudo na mesma panela, misturado...

Mas,de fato, nada se repete. Cada momento de uma gestaçao é único e aproveitamos cada um da forma que nossa realidade nos propicia.
As sensações físicas são singulares em cada uma, num determinado momento: enjôos, sonolência, libido, inchaços, cansaço e disposiçao...Nem mesmo os sinais do parto se repetem. Acredita que, já na quarta gestação, um certo dia me perguntei: será que isso é uma contração?